teclado internet (Foto: Photopin)

O Google mudou a forma de buscar páginas na web e o seu site precisa se manter atualizado. O novo mecanismo tem maior interação com os usuários e entende melhor suas mensagens para fornecer resultados relevantes. Já que a novidade possibilita ao buscador interpretar termos mais longos, profissionais também devem se focar neste tipo de conteúdo. Confira três dicar para não ficar para trás.

1. Analise as intenções dos usuários para criar conteúdo de qualidade
Para que seu site seja relevante ao Google, a informação contida nele deve ser bem costurada. Primeiro, considere termos de busca mais frequentes. Ter palavras chave espalhadas pela página – principalmente palavras capazes de responderem perguntas –  é a melhor aposta. Considere os seguintes exemplos:

– Como fazer: usuários que buscam informações de passo-a-passo se interessam por esse tipo de conteúdo instrucional.
– Listas e rankings: Dicas, listas que enumeram melhores lugares, empresas, personalidades são muito compartilhadas em redes sociais. Elas são populares por serem claras e objetivas.
– Perguntas frequentes: As Frequently Asked Questions (FAQs), ou as perguntas mais frequentes de usuários, quando propriamente organizadas, podem relacionar vários tipos de conteúdo e levar o usuário a outras páginas.
-Matérias longas: O Google agrupa artigos e produções mais pesadas para mostrar que se tratam de análises mais detalhadas de um determinado assunto. Integre ao artigo o perfil do autor no Google+ para aumentar a credibilidade.

2. Escolha uma fonte de leitura fácil
Usuários do Google buscam respostas rápidas. Se o texto de um site estiver escrito em alguma fonte difícil de ler, usuários não irão gastar seu tempo tentado decifrá-lo. A nova busca do Google teve seu processo simplificado, então se os resultados já estão mais rápidos, a leitura deve seguir a mesma lógica. Antes de escolher a fonte do site, considere os seguintes elementos:

– Tipografia: É o desenho da letra, dos símbolos e dos números. As tipografias são como uma família de desenhos correspondentes, como o grupo Times Roman, Helvetica e Courier.
– Fonte: Um tipo específico de tipografia.
– Kerning: É o espaçamento entre cada letra. É um dos fatores que proporciona um texto agradável aos olhos.
– Comprimento da linha: É a medida entre as margens da esquerda e da direita da página
Leading: É o espaçamento entre as linhas do texto. Um leading mais apertado faz caber mais texto, mas é menos agradável ao leitor.

3. Encontre alternativas para o guest blogging
Recentemente o Google se posicionou contra o guest blogging ao dizer que o recurso já estava ultrapassado. O que já foi uma forma legítima de linkar conteúdo, hoje tem sua função debilitada por spammers. Seja seletivo sobre os blogs e os autores vinculados ao seu site ou foque em outras técnicas.

– Reverta o guest blogging: Contrate um colaborador que tenha boas referências para fazer postagens em seu blog.
– Forneça conteúdos mais específicos: Faça posts com experts da área em questão.
– Seja social: Peça para celebridades do Youtube ou do Vine colaborarem em algum vídeo do gênero passo-a-passo, por exemplo.

Haverá muitas mudanças para os usuários do Google com a novidade. Porém, para profissionais que lidam com a internet, a regra continua a mesma: criar conteúdo original e de qualidade.

Fonte: http://revistapegn.globo.com/

Redação 05/03/2014

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comments are closed.

Post Navigation